Espetáculo de rua Akonis da Península estreia na próxima sexta-feira (25), na Cidade Baixa

O espetáculo de rua Akonis da Península, que reúne jovens artistas negros da Cidade Baixa e do Subúrbio, estreia nesta sexta-feira (25/11), às 17 horas, na Praia da Penha, na Ribeira. Com as apresentações ao ar livre, sempre às 17 horas, a história dos Akonis, que reconfigura a construção de heróis e heroínas a partir de uma perspectiva negra, também será encenada no sábado (26/11), na Praia do Alvejado, em Plataforma; e no domingo (27/11), no Monte Serrat, na Ponta de Humaitá (26/11). Em dezembro, o projeto teatral desembarca na Praça Cairu, no Comércio (03/12); e no Solar do Unhão, na Avenida Contorno (04/12). A entrada é franca.

O espetáculo integra o projeto teatral Escuna Criativa, idealizado e desenvolvido pelo grupo teatral Alemão Antagon, em Salvador. Inspirado nas histórias da Península Itapagipana, o projeto resulta no espetáculo Akonis da Península, que reúne, em uma criação colaborativa, jovens artistas negros da região da Cidade Baixa e Subúrbio. A história foi construída dentro de uma narrativa afrocentrada, na qual o público é convidado a interagir com as histórias da região.

O espetáculo narra a trajetória de um grupo de jovens negros que se descobre akonis (heróis em iorubá) e percorre os mares da península itapagipana com a finalidade de cumprir uma missão extremamente difícil. Tinham que achar um objeto raro e sagrado “o aruá de ouro”, que garante o poder de libertar o seu povo das ilusões que separam povos e reforçam as guerras sem sentido. Durante a trajetória nos mares, em cada porto os “akonis” se deparam com os desafios, conflitos e realidades de cada lugar.

A partir da reconfiguração dos heróis e heroínas negros, a história é contada na perspectiva iorubana dos “akonis”. As referências dos símbolos adinkras africanos e as referências afro-brasileiras enriquecem o projeto.

No cenário, uma embarcação será o elo da conexão física e dramatúrgica entre os heróis do passado e os que agora surgem nos corpos da juventude negra neste momento de transformações radicais na esfera política e social do Brasil. A musicalidade das cenas constrói as imagens que conduzem o espectador em uma viagem marítima e visual por meio dos cenários e figurinos que reforçam a cultura afrodiaspórica no Brasil.

A direção é assinada pelas artistas brasileiras Bárbara Luci Carvalho, Márcia Limma e o diretor do Antagon, o alemão Bernhard Bub. Já a criação dramatúrgica do espetáculo tem como bases as pesquisas de Silvana Carvalho, doutora em Literaturas Africanas e negro-brasileira.

APOIO E PARCERIAS

A Escuna Criativa é resultado da parceria entre o grupo teatral alemão Antagon theaterAKTion, a Fábrica Cultural, o Instituto ICBIE e o ICBA.  O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Fundação Cultural do Estado da Bahia, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda.

Mais informações: www.escunacriativa.com.br

ANTAGON THEATER AKTION

O grupo alemão Antagon, idealizou os projetos “Baixo Sul em Cena” para formar jovens e grupos de teatro no interior da Bahia, há uma década, desde então já realizou três edições do projeto, enquanto construía a embarcação “Escuna Criativa”, que está pela primeira vez em Salvador, com o intuito de circular com o barco-teatro pelos quilombos e vilarejos da costa brasileira.

FICHA TÉCNICA

Espetáculo: Akonis da Península

Hora: 17 horas

Onde: Praia da Penha, na Ribeira (25/11), Praia do Alvejado (26/11) Monte Serrat, na Ponta de Humaitá (27/11), PraçaCairu, no Comércio (03/12) e Solar do Unhão na Avenida Contorno (04/12).

Direção: Bárbara Luci Carvalho, Márcia Limma e Bernhard Bub

Elenco: Mano Xandão, Aylin dos Anjos, Arthur Barbosa, Neide Vieira, Sagach – Fábio Chagas, Laura Abelha, Aurora Guedes, Lua Lus Yandla, Cris Gil, Alex Nascimento, Dira Ataíde, Henrygust- Gustavo Henrique, Raíssa Carneiro, Tawane Reis, Ravi Lucas, Vitinho Silva, Alê Laura, Patríca Campos

Grupo Antagon: Effi Bodensohn, Lauren Boissonnet, Bernhard Bub, Barbara Luci Carvalho, Max Büttner, Jan Colsman, Edith van den Elzen, Maximilian Friedel, Simone Galli, Patsch Katrin Hailer, Benedikt Müller, Bobby Packham, Lucas Tanajura, Ruben Wielsch.

Pesquisa e mediação de debate racial e histórico: Silvana Carvalho

Direção Musical: Antagon theaterAKTion e colaboração de Mano Xandão

Cenografia e Adereços: Dakashola- Ateliê Criativo

Coordenação de Produção: Ely Izidro

Produção Executiva: Aline Menezes

Produção Local: Lucas Tanajura

Produção Artística: Antagon theaterAKTion

Figurino: Cássio Caiazzo

Iluminação: Antagon theaterAKTion

Assessoria de Comunicação: Como Comunicação Integrada

Artista Gráfico: Vagné

Redes sociais: Rodrigo Bertoldo Fotografia: Edith van den Elzen

Este site usa cookies para melhorar a sua experiência.